Posts Marcados: Sigmund Freud

Por que a gente não se entende

Por Luciene Godoy e Valéria Belém

Nem sempre a gente entende a língua que o outro fala porque está tudo lá, na cabeça dele. Então, somos os felizes proprietários de milhões de palavras que só fazem sentido para nós mesmos, uma linguagem própria e intransferível.

Por que a gente não se entende

Por Luciene Godoy e Valéria Belém

Nem sempre a gente entende a língua que o outro fala porque está tudo lá, na cabeça dele. Então, somos os felizes proprietários de milhões de palavras que só fazem sentido para nós mesmos, uma linguagem própria e intransferível.

Tempos Modernos (Charlie Chaplin, 1936)

Carreira, trabalho e diversão

Luciene Godoy // Quando pensamos na palavra trabalho, o primeiro sentido que nos ocorre geralmente é o relacionado ao econômico, em que a palavra se refere a qualquer atividade exercida com o fito de um retorno material. É o “ganhar

Destacado / Deixe um comentário
Tempos Modernos (Charlie Chaplin, 1936)

Carreira, trabalho e diversão

Luciene Godoy // Quando pensamos na palavra trabalho, o primeiro sentido que nos ocorre geralmente é o relacionado ao econômico, em que a palavra se refere a qualquer atividade exercida com o fito de um retorno material. É o “ganhar

Destacado / Deixe um comentário
Dancing in Colombia (Fernando Botero, 1980) - www.metmuseum.org/

Especial Namorados (I): Dançar com a vida

Luciene Godoy // Dançar com o outro, com o ser amado, é também dançar com a vida. Dançamos em muitos lugares à condição de termos corpo. Não estranhe essa afirmativa. Ter corpo não é coisa para qualquer um. Ter um

Destacado / Deixe um comentário
Dancing in Colombia (Fernando Botero, 1980) - www.metmuseum.org/

Especial Namorados (I): Dançar com a vida

Luciene Godoy // Dançar com o outro, com o ser amado, é também dançar com a vida. Dançamos em muitos lugares à condição de termos corpo. Não estranhe essa afirmativa. Ter corpo não é coisa para qualquer um. Ter um

Destacado / Deixe um comentário
Self-portrait in a convex mirror (Parmigianino, 1524) - www.metmuseum.org

A felicidade de ser vitrine

Luciene Godoy // Não dá para negar que é bom agradar aos outros. É bom, não. É uma verdadeira delícia. Menos para aqueles para os quais desagradar ou irritar é a forma de pedir amor e arrancar a atenção do

Destacado / Um Comentário
Self-portrait in a convex mirror (Parmigianino, 1524) - www.metmuseum.org

A felicidade de ser vitrine

Luciene Godoy // Não dá para negar que é bom agradar aos outros. É bom, não. É uma verdadeira delícia. Menos para aqueles para os quais desagradar ou irritar é a forma de pedir amor e arrancar a atenção do

Destacado / Um Comentário

Seres do passado

Luciene Godoy // Quem não conhece sua história está condenado a repeti-la – frase de Freud ou de Mao Tsé-tung? Dos dois, pois Freud afirma que o que foi recalcado aparece na repetição neurótica. Já Lacan diz que o que

Seres do passado

Luciene Godoy // Quem não conhece sua história está condenado a repeti-la – frase de Freud ou de Mao Tsé-tung? Dos dois, pois Freud afirma que o que foi recalcado aparece na repetição neurótica. Já Lacan diz que o que

O maior inimigo das mulheres

Luciene Godoy // No começo do século 20, Freud chamava as mulheres de “o continente negro”. Referia-se à ilustre desconhecida de todos os homens que inutilmente tentavam entender os seus desejos. Maria Rita Kehl, em sua poesia psicanalítica, diz que

O maior inimigo das mulheres

Luciene Godoy // No começo do século 20, Freud chamava as mulheres de “o continente negro”. Referia-se à ilustre desconhecida de todos os homens que inutilmente tentavam entender os seus desejos. Maria Rita Kehl, em sua poesia psicanalítica, diz que