Com que olhos você me vê?

Por Luciene Godoy
Apesar do descompasso do tempo, da posição e do parceiro, a primeira relação de amor é tudo o que possuímos para nos ajudar a mudar o que é necessário, para ser bem-sucedido neste mesmo/novo tipo de amor.

Anúncios
Destacado / Deixe um comentário

Com que olhos você me vê?

Por Luciene Godoy
Apesar do descompasso do tempo, da posição e do parceiro, a primeira relação de amor é tudo o que possuímos para nos ajudar a mudar o que é necessário, para ser bem-sucedido neste mesmo/novo tipo de amor.

Destacado / Deixe um comentário
Rolando Lero (Rogério Cardoso) em quadro da Escolinha do Professor Raimundo, da Rede Globo

Falar difícil, para que serve?

Luciene Godoy // “Fulano fala difícil”, quantas vezes já ouvi essa frase… Ao repeti-la neste momento, nem me passa pela cabeça assumir a posição de franco-atiradora, lançando um julgamento negativo, sem substância e repetido. Ao contrário, proponho a pergunta: para

Destacado / Um Comentário
Rolando Lero (Rogério Cardoso) em quadro da Escolinha do Professor Raimundo, da Rede Globo

Falar difícil, para que serve?

Luciene Godoy // “Fulano fala difícil”, quantas vezes já ouvi essa frase… Ao repeti-la neste momento, nem me passa pela cabeça assumir a posição de franco-atiradora, lançando um julgamento negativo, sem substância e repetido. Ao contrário, proponho a pergunta: para

Destacado / Um Comentário
Sunday Morning (Dox Thrash, 1935–43) - www.metmuseum.org

A angústia dos domingos

Luciene Godoy // Domingo é um dia meio triste para muita gente. Andei “pesquisando” entre amigos e analisantes e, mais uma vez, constatei: tem uma certa tristeza que paira na vida das pessoas no domingo. Nada muito grande, apenas tardes

Destacado / Deixe um comentário
Sunday Morning (Dox Thrash, 1935–43) - www.metmuseum.org

A angústia dos domingos

Luciene Godoy // Domingo é um dia meio triste para muita gente. Andei “pesquisando” entre amigos e analisantes e, mais uma vez, constatei: tem uma certa tristeza que paira na vida das pessoas no domingo. Nada muito grande, apenas tardes

Destacado / Deixe um comentário
A Discussion (Louis Moeller, ca. 1890–95) - www.metmuseum.org

Ter razão ou ser feliz?

Esta pergunta está no livro As Sete Vidas de Nelson Motta, atribuída por seu autor – o próprio – ao poeta Ferreira Gullar, que pergunta se o prazer de ter razão é maior que o de estar junto com a

Destacado / Um Comentário
A Discussion (Louis Moeller, ca. 1890–95) - www.metmuseum.org

Ter razão ou ser feliz?

Esta pergunta está no livro As Sete Vidas de Nelson Motta, atribuída por seu autor – o próprio – ao poeta Ferreira Gullar, que pergunta se o prazer de ter razão é maior que o de estar junto com a

Destacado / Um Comentário
Claude Monet (Bridge over a Pond of Water Lilies, 1899) - www.metmuseum.org

Mundo fixo e mundo fluxo

Luciene Godoy // Eu sou burro. Eu sou organizado. Eu sou medroso. Eu sou esquecido. Eu sou guloso. Eu sou inseguro. Todos têm suas definições de si mesmos. Haverá um tempo no futuro em que os seres humanos ficarão estupefatos,

Destacado / Deixe um comentário
Claude Monet (Bridge over a Pond of Water Lilies, 1899) - www.metmuseum.org

Mundo fixo e mundo fluxo

Luciene Godoy // Eu sou burro. Eu sou organizado. Eu sou medroso. Eu sou esquecido. Eu sou guloso. Eu sou inseguro. Todos têm suas definições de si mesmos. Haverá um tempo no futuro em que os seres humanos ficarão estupefatos,

Destacado / Deixe um comentário
Talking, from the series Customs of Women Today (Yamamoto Shoun, 1906-1909)

Eu sei o que é, mas não sei explicar

Luciene Godoy // Dias atrás, preparando uma aula do Seminário 20 de Lacan, me vi dizendo uma frase que certa época povoou minha infância em Caldas Novas. Uma de minhas amiguinhas saiu com a brincadeira de “dicionário”. À queima-roupa, éramos

Destacado / Deixe um comentário
Talking, from the series Customs of Women Today (Yamamoto Shoun, 1906-1909)

Eu sei o que é, mas não sei explicar

Luciene Godoy // Dias atrás, preparando uma aula do Seminário 20 de Lacan, me vi dizendo uma frase que certa época povoou minha infância em Caldas Novas. Uma de minhas amiguinhas saiu com a brincadeira de “dicionário”. À queima-roupa, éramos

Destacado / Deixe um comentário

O que é o amor?

Luciene Godoy // Lacan dizia que amar é querer fazer “Um”, tentar a partir de dois fazer um. Quanto a isso, ele não deixa a menor dúvida no seu Seminário 20, em que afirma: “Nós dois somos um só. Todo

Destacado / Deixe um comentário

O que é o amor?

Luciene Godoy // Lacan dizia que amar é querer fazer “Um”, tentar a partir de dois fazer um. Quanto a isso, ele não deixa a menor dúvida no seu Seminário 20, em que afirma: “Nós dois somos um só. Todo

Destacado / Deixe um comentário

O POPULAR: Luciene Godoy lança livro que combate a ideia de que amar é sofrer

A psicanalista Luciene Godoy, titular da coluna Divã do POPULAR, lança hoje, às 19h30, o livro A Felicidade Bate à Sua Pele – Uma Teoria do Apaixonamento (Cânone Editorial). A sessão de autógrafos será realizada na Livraria Nobel do Shopping

Destacado / Deixe um comentário

O POPULAR: Luciene Godoy lança livro que combate a ideia de que amar é sofrer

A psicanalista Luciene Godoy, titular da coluna Divã do POPULAR, lança hoje, às 19h30, o livro A Felicidade Bate à Sua Pele – Uma Teoria do Apaixonamento (Cânone Editorial). A sessão de autógrafos será realizada na Livraria Nobel do Shopping

Destacado / Deixe um comentário
In the Studio (Alfred Stevens, 1888)

Às mestras, com carinho

Luciene Godoy // “O homem é produto do meio.” Frase bastante conhecida e aceita. Já “no princípio era o Outro”, nem tanto. Mas é assim que a psicanálise nos permite definir nossa relação com o mundo. Somos produto dos nossos

Destacado / Deixe um comentário
In the Studio (Alfred Stevens, 1888)

Às mestras, com carinho

Luciene Godoy // “O homem é produto do meio.” Frase bastante conhecida e aceita. Já “no princípio era o Outro”, nem tanto. Mas é assim que a psicanálise nos permite definir nossa relação com o mundo. Somos produto dos nossos

Destacado / Deixe um comentário
Se mira y no se ve (Leonardo Alenza y Nieto, 1807-45) - www.metmuseum.org

Podemos estar seguros de nós e dos outros?

Luciene Godoy // Somos seres confiáveis? Podemos contar certo que conhecemos a nós mesmos e aos nossos? Podemos estar seguros da ajuda, do amor, da amizade ou até mesmo da desaprovação ou do ódio do outro? A psicanálise nos descreve

Destacado / Deixe um comentário
Se mira y no se ve (Leonardo Alenza y Nieto, 1807-45) - www.metmuseum.org

Podemos estar seguros de nós e dos outros?

Luciene Godoy // Somos seres confiáveis? Podemos contar certo que conhecemos a nós mesmos e aos nossos? Podemos estar seguros da ajuda, do amor, da amizade ou até mesmo da desaprovação ou do ódio do outro? A psicanálise nos descreve

Destacado / Deixe um comentário
Stepping Out (Roy Lichtenstein, 1978) - www.metmuseum.org

Adivinhe qual é a única emoção universal!

Luciene Godoy // A pesquisa se propunha a descobrir qual seria a única manifestação das emoções genuinamente universal. Imediatamente me veio à mente: choro e sorriso. Qual nada. Nem passaram perto. Então seria cenho franzido indicando raiva, boca travada, posição

Destacado / Deixe um comentário
Stepping Out (Roy Lichtenstein, 1978) - www.metmuseum.org

Adivinhe qual é a única emoção universal!

Luciene Godoy // A pesquisa se propunha a descobrir qual seria a única manifestação das emoções genuinamente universal. Imediatamente me veio à mente: choro e sorriso. Qual nada. Nem passaram perto. Então seria cenho franzido indicando raiva, boca travada, posição

Destacado / Deixe um comentário
Jo, La Belle Irlandaise (Gustave Courbet, 1865–66) - www.metmuseum.org

Não somos dignos de nós mesmos?

Luciene Godoy // “Os psicanalistas nunca foram dignos da psicanálise” é uma frase que corre o mundo psi. É uma frase triste, desanimadora, que nos deixa sem desejo, sem rumo do que buscar na vida. Afinal, para que andar se

Destacado / Deixe um comentário
Jo, La Belle Irlandaise (Gustave Courbet, 1865–66) - www.metmuseum.org

Não somos dignos de nós mesmos?

Luciene Godoy // “Os psicanalistas nunca foram dignos da psicanálise” é uma frase que corre o mundo psi. É uma frase triste, desanimadora, que nos deixa sem desejo, sem rumo do que buscar na vida. Afinal, para que andar se

Destacado / Deixe um comentário
The Singer in Green (Edgar Degas, 1884) - www.metmuseum.org

Gente feliz não enche o saco!

Luciene Godoy // Dizem que tem um grupo nas redes sociais com esse título. Provavelmente ele é constituído por pessoas que já descobriram o quanto é bom ser rodeado por gente de bem consigo mesma. O que parece tão óbvio

Destacado / Deixe um comentário
The Singer in Green (Edgar Degas, 1884) - www.metmuseum.org

Gente feliz não enche o saco!

Luciene Godoy // Dizem que tem um grupo nas redes sociais com esse título. Provavelmente ele é constituído por pessoas que já descobriram o quanto é bom ser rodeado por gente de bem consigo mesma. O que parece tão óbvio

Destacado / Deixe um comentário
The Dance Lesson (Edgar Degas, 1879) - www.metmuseum.org

Os novos filhos respeitam os pais?

Luciene Godoy // Se fôssemos borboletas, cupins, formigas, geração após geração, teríamos os mesmos comportamentos, uma sendo idêntica à outra. O termo “conflito de gerações” não faria o menor sentido. Até o século passado, com a tentativa de padronizar o

Destacado / Deixe um comentário
The Dance Lesson (Edgar Degas, 1879) - www.metmuseum.org

Os novos filhos respeitam os pais?

Luciene Godoy // Se fôssemos borboletas, cupins, formigas, geração após geração, teríamos os mesmos comportamentos, uma sendo idêntica à outra. O termo “conflito de gerações” não faria o menor sentido. Até o século passado, com a tentativa de padronizar o

Destacado / Deixe um comentário
The Fear (Homage to Francisco Goya) (Corneliu Baba, 1987)

Ano novo, medos velhos

Luciene Godoy // Então, estamos todos começando um ano novinho para ser vivido! Com promessas, projetos, expectativas. Esperando muita coisa boa acontecer, não é verdade? Bem, pelo menos esse é bem o discurso de começo de ano. Será que o

Destacado / Deixe um comentário
The Fear (Homage to Francisco Goya) (Corneliu Baba, 1987)

Ano novo, medos velhos

Luciene Godoy // Então, estamos todos começando um ano novinho para ser vivido! Com promessas, projetos, expectativas. Esperando muita coisa boa acontecer, não é verdade? Bem, pelo menos esse é bem o discurso de começo de ano. Será que o

Destacado / Deixe um comentário
The Beeches (Asher Brown Durand, 1845) - www.metmuseum.org

Fazer o Ano ser Novo

Luciene Godoy // Quantas vezes seu ano virou nesses 365 últimos dias? Não dá para ser todo dia, senão a bola murcha. A vida é som e silêncio, é ter e não ter, é virar e é ficar. Falamos, falamos,

Destacado / Deixe um comentário
The Beeches (Asher Brown Durand, 1845) - www.metmuseum.org

Fazer o Ano ser Novo

Luciene Godoy // Quantas vezes seu ano virou nesses 365 últimos dias? Não dá para ser todo dia, senão a bola murcha. A vida é som e silêncio, é ter e não ter, é virar e é ficar. Falamos, falamos,

Destacado / Deixe um comentário
Harper's Weekly: Christmas (Edward Penfield, 1894) - www.metmuseum.org

O que os comerciais nos vendem

Luciene Godoy // Comerciais nos vendem produtos, responderíamos. Mercadorias, diria o velho Marx. Nos vendem coisas, afirmariam os menos detalhistas. Hoje – afirmam os sociólogos, historiadores, filósofos e afins – nenhuma empresa “pega” e subsiste se não vender cultura. O

Destacado / Deixe um comentário
Harper's Weekly: Christmas (Edward Penfield, 1894) - www.metmuseum.org

O que os comerciais nos vendem

Luciene Godoy // Comerciais nos vendem produtos, responderíamos. Mercadorias, diria o velho Marx. Nos vendem coisas, afirmariam os menos detalhistas. Hoje – afirmam os sociólogos, historiadores, filósofos e afins – nenhuma empresa “pega” e subsiste se não vender cultura. O

Destacado / Deixe um comentário
Two Young Peasant Women (Camille Pissarro, 1891–92) - metmuseum.org

Como amaremos no futuro

Luciene Godoy // Como será a nossa forma de amar quando nossa identidade não for mais tão fortemente determinada pela identificação que fazemos ao outro, nos tornando parecidos ou o oposto do que vemos? Como amaremos se tivermos uma identidade

Destacado / Deixe um comentário
Two Young Peasant Women (Camille Pissarro, 1891–92) - metmuseum.org

Como amaremos no futuro

Luciene Godoy // Como será a nossa forma de amar quando nossa identidade não for mais tão fortemente determinada pela identificação que fazemos ao outro, nos tornando parecidos ou o oposto do que vemos? Como amaremos se tivermos uma identidade

Destacado / Deixe um comentário
Portrait of a Woman with a Man at a Casement (Fra Filippo Lippi, 1440) - www.metmuseum.org

Ser homem&mulher

Luciene Godoy // Qual é o sexo forte? Hã?! Será que esta pergunta ainda faz sentido? É… não estamos mais em situação de cair na armadilha de acreditar que tem UM sexo forte ou mesmo UM sexo frágil, mas a resposta

Destacado / Deixe um comentário
Portrait of a Woman with a Man at a Casement (Fra Filippo Lippi, 1440) - www.metmuseum.org

Ser homem&mulher

Luciene Godoy // Qual é o sexo forte? Hã?! Será que esta pergunta ainda faz sentido? É… não estamos mais em situação de cair na armadilha de acreditar que tem UM sexo forte ou mesmo UM sexo frágil, mas a resposta

Destacado / Deixe um comentário
Lady Lilith (Dante Gabriel Rossetti, 1867) - www.metmuseum.org

O ser humano é um ser fora de si

Luciene Godoy // Uma frase proferida diversas vezes por Leandro Karnal – historiador e professor da Unicamp – em uma palestra sobre a vaidade permaneceu ressoando de novo e de novo em meus ouvidos. A ideia era mais ou menos

Destacado / Um Comentário
Lady Lilith (Dante Gabriel Rossetti, 1867) - www.metmuseum.org

O ser humano é um ser fora de si

Luciene Godoy // Uma frase proferida diversas vezes por Leandro Karnal – historiador e professor da Unicamp – em uma palestra sobre a vaidade permaneceu ressoando de novo e de novo em meus ouvidos. A ideia era mais ou menos

Destacado / Um Comentário
Nude Before a Mirror (Balthus, 1955)

Eu sou o máximo!

Luciene Godoy // Acho louvável o esforço que as pessoas estão fazendo para se sentirem bem consigo mesmas, para se valorizarem e, por isso mesmo, conseguirem gostar de si mesmas. Acho um feito alguém conseguir, deveras, gostar de si mesmo.

Destacado / Deixe um comentário
Nude Before a Mirror (Balthus, 1955)

Eu sou o máximo!

Luciene Godoy // Acho louvável o esforço que as pessoas estão fazendo para se sentirem bem consigo mesmas, para se valorizarem e, por isso mesmo, conseguirem gostar de si mesmas. Acho um feito alguém conseguir, deveras, gostar de si mesmo.

Destacado / Deixe um comentário
Cain Killing Abel (Lucas van Leyden, 1524) - www.metmuseum.org

Em Paris, mortos matam gente

Luciene Godoy // Paris está em guerra. O mundo ocidental está sob surda ameaça em cada esquina. Quem estaria fora? Cada um de nós toma esses acontecimentos a sua maneira. Tenho o hábito de ir anualmente à jornada da École

Destacado / Deixe um comentário
Cain Killing Abel (Lucas van Leyden, 1524) - www.metmuseum.org

Em Paris, mortos matam gente

Luciene Godoy // Paris está em guerra. O mundo ocidental está sob surda ameaça em cada esquina. Quem estaria fora? Cada um de nós toma esses acontecimentos a sua maneira. Tenho o hábito de ir anualmente à jornada da École

Destacado / Deixe um comentário
Tempos Modernos (Charlie Chaplin, 1936)

Carreira, trabalho e diversão

Luciene Godoy // Quando pensamos na palavra trabalho, o primeiro sentido que nos ocorre geralmente é o relacionado ao econômico, em que a palavra se refere a qualquer atividade exercida com o fito de um retorno material. É o “ganhar

Destacado / Deixe um comentário
Tempos Modernos (Charlie Chaplin, 1936)

Carreira, trabalho e diversão

Luciene Godoy // Quando pensamos na palavra trabalho, o primeiro sentido que nos ocorre geralmente é o relacionado ao econômico, em que a palavra se refere a qualquer atividade exercida com o fito de um retorno material. É o “ganhar

Destacado / Deixe um comentário
Study of a Baby (Frederick Goodall, 1868) - www.metmuseum.org

Sobre o sentimento de incompletude

Luciene Godoy // Tenho me surpreendido com o susto das pessoas quando digo que todo ser humano nasce prematuro aos 9 meses, ou mais ou menos 40 semanas de gestação. As pessoas da área das ciências biológicas, que bem sabem

Destacado / Deixe um comentário
Study of a Baby (Frederick Goodall, 1868) - www.metmuseum.org

Sobre o sentimento de incompletude

Luciene Godoy // Tenho me surpreendido com o susto das pessoas quando digo que todo ser humano nasce prematuro aos 9 meses, ou mais ou menos 40 semanas de gestação. As pessoas da área das ciências biológicas, que bem sabem

Destacado / Deixe um comentário
Desire (Thomas Rowlandson, 1800) - www.metmuseum.org

Quem semeia desejo colhe muita coisa!

Rejane Ferreira // Aquele dito popular de que “Quem planta, colhe” pode não estar funcionando direito. Ao menos não numa sequência linear. Estamos numa fase de muitas mudanças rápidas e podemos adaptar o plantio para outra finalidade a qualquer momento.

Destacado / Um Comentário
Desire (Thomas Rowlandson, 1800) - www.metmuseum.org

Quem semeia desejo colhe muita coisa!

Rejane Ferreira // Aquele dito popular de que “Quem planta, colhe” pode não estar funcionando direito. Ao menos não numa sequência linear. Estamos numa fase de muitas mudanças rápidas e podemos adaptar o plantio para outra finalidade a qualquer momento.

Destacado / Um Comentário
The Accommodations of Desire (Salvador Dalí, 1929) - www.metmuseum.org

Desejos imediatistas

Luciene Godoy // Um dos maiores e mais respeitados pesquisadores sobre comportamentos viciados do mundo é o médico húngaro-canadense Gabor Maté. Ele trabalha em uma comunidade de viciados em drogas pesadas em Downtown Eastside, na cidade de Vancouver, no Canadá,

Destacado / Deixe um comentário
The Accommodations of Desire (Salvador Dalí, 1929) - www.metmuseum.org

Desejos imediatistas

Luciene Godoy // Um dos maiores e mais respeitados pesquisadores sobre comportamentos viciados do mundo é o médico húngaro-canadense Gabor Maté. Ele trabalha em uma comunidade de viciados em drogas pesadas em Downtown Eastside, na cidade de Vancouver, no Canadá,

Destacado / Deixe um comentário

O que comemos quando comemos?

Luciene Godoy // Quando o assunto é obesidade, a pergunta fundamental seria por que comemos tanto? Não. A pergunta é: o que comemos tanto? Freud diz que, em princípio, o aparelho psíquico tem a função de evitar a dor e

Destacado / Um Comentário

O que comemos quando comemos?

Luciene Godoy // Quando o assunto é obesidade, a pergunta fundamental seria por que comemos tanto? Não. A pergunta é: o que comemos tanto? Freud diz que, em princípio, o aparelho psíquico tem a função de evitar a dor e

Destacado / Um Comentário
Two Children Teasing a Cat (Annibale Carracci, 1560-1609) - http://metmuseum.org

As crianças do futuro

Luciene Godoy // Ultimamente, tenho recebido em meu consultório mães e pais de crianças – veja bem, não de “aborrecentes” (perdoe-me o interessado no assunto, fica aqui a promessa de dar o meu viés muito mais simpático a essa fase

Destacado / Deixe um comentário
Two Children Teasing a Cat (Annibale Carracci, 1560-1609) - http://metmuseum.org

As crianças do futuro

Luciene Godoy // Ultimamente, tenho recebido em meu consultório mães e pais de crianças – veja bem, não de “aborrecentes” (perdoe-me o interessado no assunto, fica aqui a promessa de dar o meu viés muito mais simpático a essa fase

Destacado / Deixe um comentário
Crown of the Virgin of the Immaculate Conception, conhecida como Crown of the Andes (Unknown Artist, ca. 1660–1770 Colombian) - Acervo The Metropolitan Museum of Art, New York - http://www.metmuseum.org/Collections/search-the-collections/21698

O luxo de se presentear

Luciene Godoy // Dar-se um grande presente certamente não é comprar um objeto descartável qualquer. Estamos em um mundo cheio de descartáveis. Nada contra. Algumas coisas são para uso e descarte – palito de fósforo riscado, por exemplo. Mas parece

Destacado / Um Comentário
Crown of the Virgin of the Immaculate Conception, conhecida como Crown of the Andes (Unknown Artist, ca. 1660–1770 Colombian) - Acervo The Metropolitan Museum of Art, New York - http://www.metmuseum.org/Collections/search-the-collections/21698

O luxo de se presentear

Luciene Godoy // Dar-se um grande presente certamente não é comprar um objeto descartável qualquer. Estamos em um mundo cheio de descartáveis. Nada contra. Algumas coisas são para uso e descarte – palito de fósforo riscado, por exemplo. Mas parece

Destacado / Um Comentário
A Hunting Scene (Piero di Cosimo, 1507–8) - www.metmuseum.org

As três “naturezas” do ser humano

Luciene Godoy // Dentre tantos conceitos acerca do que seria característico do ser humano, do que representaria a sua essência, poderíamos tomar um e dizer que o ser humano é racional. É um animal racional que busca se sobrepor à

Destacado / Deixe um comentário
A Hunting Scene (Piero di Cosimo, 1507–8) - www.metmuseum.org

As três “naturezas” do ser humano

Luciene Godoy // Dentre tantos conceitos acerca do que seria característico do ser humano, do que representaria a sua essência, poderíamos tomar um e dizer que o ser humano é racional. É um animal racional que busca se sobrepor à

Destacado / Deixe um comentário
Bedroom from the Sagredo Palace (Stuccowork probably by Abbondio Stazio of Massagno, 1718)

Os úteros que a vida nos dá

Luciene Godoy // Quando tudo está desabando em nossas cabeças, às vezes dizemos que queríamos voltar para o útero materno. Cultivamos a sensação de que, antes de começarem todas as mudanças, conflitos, desafios a serem vencidos, tínhamos a paz do

Destacado / Deixe um comentário
Bedroom from the Sagredo Palace (Stuccowork probably by Abbondio Stazio of Massagno, 1718)

Os úteros que a vida nos dá

Luciene Godoy // Quando tudo está desabando em nossas cabeças, às vezes dizemos que queríamos voltar para o útero materno. Cultivamos a sensação de que, antes de começarem todas as mudanças, conflitos, desafios a serem vencidos, tínhamos a paz do

Destacado / Deixe um comentário
Self-Portrait (Samuel Joseph Brown, Jr. 1941) - http://metmuseum.org

Nossos “eus”

Luciene Godoy // Será que nós já nascemos com “eu”? Curto e grosso, não. Não nascemos com um “eu”. Então, quando é que ele nasce? Ops! Será que o “eu” nasce? Será que ele é desenvolvido? Será que aparece de

Destacado / Um Comentário
Self-Portrait (Samuel Joseph Brown, Jr. 1941) - http://metmuseum.org

Nossos “eus”

Luciene Godoy // Será que nós já nascemos com “eu”? Curto e grosso, não. Não nascemos com um “eu”. Então, quando é que ele nasce? Ops! Será que o “eu” nasce? Será que ele é desenvolvido? Será que aparece de

Destacado / Um Comentário
Princely Couple (Artista desconhecido, obra datada de 1400–1405 e localizada no Irã) - http://metmuseum.org/

Amar & Desejar – quem já se tem

Luciene Godoy De que amor estamos falando? Do “amor-desejo” ou do “amor-amizade”? Do amor Eros, de Platão, para quem amar é desejar. Fácil de definir: se você deseja é porque você ama. No amor erótico é isso mesmo. Só se

Destacado / Um Comentário
Princely Couple (Artista desconhecido, obra datada de 1400–1405 e localizada no Irã) - http://metmuseum.org/

Amar & Desejar – quem já se tem

Luciene Godoy De que amor estamos falando? Do “amor-desejo” ou do “amor-amizade”? Do amor Eros, de Platão, para quem amar é desejar. Fácil de definir: se você deseja é porque você ama. No amor erótico é isso mesmo. Só se

Destacado / Um Comentário
The Brush House (Childe Hassam, 1916) - www.metmuseum.org

Mudando de casa

Luciene Godoy // Falemos hoje de mudanças. Mais especificamente de mudança de casa. Decisão tomada, tudo arranjado, objetos nas caixas e lá vamos nós para habitar uma nova morada. Quando a nova casa é melhor, quando a mudança foi desejada,

Destacado / Deixe um comentário
The Brush House (Childe Hassam, 1916) - www.metmuseum.org

Mudando de casa

Luciene Godoy // Falemos hoje de mudanças. Mais especificamente de mudança de casa. Decisão tomada, tudo arranjado, objetos nas caixas e lá vamos nós para habitar uma nova morada. Quando a nova casa é melhor, quando a mudança foi desejada,

Destacado / Deixe um comentário
Maria Rita Kehl na Cidade de Goiás (Foto: ThiagoJesus-Fica)

O que fica do Fica

Luciene Godoy // O Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental na cidade de Goiás acaba de acontecer mais uma vez. O que será que ele deixa plantado? Afinal, o que fica do Fica? Ficam encontros, muitos encontros. Encontros com

Destacado / Deixe um comentário
Maria Rita Kehl na Cidade de Goiás (Foto: ThiagoJesus-Fica)

O que fica do Fica

Luciene Godoy // O Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental na cidade de Goiás acaba de acontecer mais uma vez. O que será que ele deixa plantado? Afinal, o que fica do Fica? Ficam encontros, muitos encontros. Encontros com

Destacado / Deixe um comentário
Office at Night (Edward Hopper, 1940)

Falar sem dizer

Luciene Godoy // Falar ao vento. Falar para as paredes. Desperdiçar o verbo. Não ser levado em conta. Você gosta disso? Se a resposta é não, então, vejamos como conseguir chegar lá – principalmente para nós, mulheres, que falamos, falamos,

Destacado / 2 Comentários
Office at Night (Edward Hopper, 1940)

Falar sem dizer

Luciene Godoy // Falar ao vento. Falar para as paredes. Desperdiçar o verbo. Não ser levado em conta. Você gosta disso? Se a resposta é não, então, vejamos como conseguir chegar lá – principalmente para nós, mulheres, que falamos, falamos,

Destacado / 2 Comentários

O pai: uma nova mãe

Luciene Godoy // Em maio, proferi uma palestra em São Paulo com o título de A Nova Mãe. Porém, a primeira imagem que projetei na tela foi a de um homem com um bebezinho bem no meio de seu peito

Destacado / Deixe um comentário

O pai: uma nova mãe

Luciene Godoy // Em maio, proferi uma palestra em São Paulo com o título de A Nova Mãe. Porém, a primeira imagem que projetei na tela foi a de um homem com um bebezinho bem no meio de seu peito

Destacado / Deixe um comentário
TheElephantClock (Al-Jazari, 1315) - www.themetmuseum.org

Quando eu tiver um tempo…

Luciene Godoy // Vivemos dizendo que faremos um montão de coisas quando tivermos um tempo. Cabe perguntar: o que podemos fazer para termos tempo? Esperarmos pacientemente ou, quem sabe, ansiosamente? Fazermos as contas do tempo comprometido para ver quando será

Destacado / Deixe um comentário
TheElephantClock (Al-Jazari, 1315) - www.themetmuseum.org

Quando eu tiver um tempo…

Luciene Godoy // Vivemos dizendo que faremos um montão de coisas quando tivermos um tempo. Cabe perguntar: o que podemos fazer para termos tempo? Esperarmos pacientemente ou, quem sabe, ansiosamente? Fazermos as contas do tempo comprometido para ver quando será

Destacado / Deixe um comentário
Animal locomotion (Eadweard Muybridge, 1880s) - www.metmuseum.org

Identidade mutante

Luciene Godoy // A identidade é o chão de todos os seres humanos. É o chão sobre o qual crescemos e frutificamos. É o nome que damos ao fato de nos reconhecermos existindo. Segundo a bíblia, fomos feitos com o

Destacado / Deixe um comentário
Animal locomotion (Eadweard Muybridge, 1880s) - www.metmuseum.org

Identidade mutante

Luciene Godoy // A identidade é o chão de todos os seres humanos. É o chão sobre o qual crescemos e frutificamos. É o nome que damos ao fato de nos reconhecermos existindo. Segundo a bíblia, fomos feitos com o

Destacado / Deixe um comentário
Wheat Field with Cypresses (Vincent van Gogh, 1889) - www.metmuseum.org

O maná dos céus e o da mente

Luciene Godoy // Sempre me encantou a história do maná que Deus enviava ao povo hebreu todas as manhãs durante os anos em que fazia sua longa viagem de travessia do deserto rumo à Terra Prometida. Alimento novo a cada

Destacado / Deixe um comentário
Wheat Field with Cypresses (Vincent van Gogh, 1889) - www.metmuseum.org

O maná dos céus e o da mente

Luciene Godoy // Sempre me encantou a história do maná que Deus enviava ao povo hebreu todas as manhãs durante os anos em que fazia sua longa viagem de travessia do deserto rumo à Terra Prometida. Alimento novo a cada

Destacado / Deixe um comentário
Mother and Child (Kitagawa Utamaro, 1793) - www.metmuseum.org

Parentalidade, ser pai e mãe hoje

Luciene Godoy // Será que já nos demos conta de que nos mudamos do planeta “Terra 1” e hoje vivemos no “Terra 2”? Tudo mudou de forma incontrolável, diz o psicanalista Jorge Forbes, que nos define hoje como seres desbussolados,

Destacado / Deixe um comentário
Mother and Child (Kitagawa Utamaro, 1793) - www.metmuseum.org

Parentalidade, ser pai e mãe hoje

Luciene Godoy // Será que já nos demos conta de que nos mudamos do planeta “Terra 1” e hoje vivemos no “Terra 2”? Tudo mudou de forma incontrolável, diz o psicanalista Jorge Forbes, que nos define hoje como seres desbussolados,

Destacado / Deixe um comentário
Maharaja Sardar Singh of Bikaner (Chotu, 1860-70) - www.metmuseum.org

Consciente versus inconsciente

Luciene Godoy // A psicanálise inaugurou na humanidade o uso da palavra inconsciente que, a partir de um setor acadêmico específico, passou a ser um vocábulo de uso comum para expressar maneiras de agir que são alheias a nossa vontade.

Destacado / Deixe um comentário
Maharaja Sardar Singh of Bikaner (Chotu, 1860-70) - www.metmuseum.org

Consciente versus inconsciente

Luciene Godoy // A psicanálise inaugurou na humanidade o uso da palavra inconsciente que, a partir de um setor acadêmico específico, passou a ser um vocábulo de uso comum para expressar maneiras de agir que são alheias a nossa vontade.

Destacado / Deixe um comentário
Diana and Endymion (George Frederic Watts, 1891) - www.metmuseum.org

Especial Namorados (III): Dançar na cama

Luciene Godoy // É impensável escrever uma trilogia sobre o namoro, um presente que quis dar aos meus leitores-namorados no mês dos namorados, sem falar em cama. Há duas semanas, escolhi a metáfora da dança para falar de namoro. Namorar,

Destacado / Deixe um comentário
Diana and Endymion (George Frederic Watts, 1891) - www.metmuseum.org

Especial Namorados (III): Dançar na cama

Luciene Godoy // É impensável escrever uma trilogia sobre o namoro, um presente que quis dar aos meus leitores-namorados no mês dos namorados, sem falar em cama. Há duas semanas, escolhi a metáfora da dança para falar de namoro. Namorar,

Destacado / Deixe um comentário
Dancing Couple (Boardman Robinson, 1924) - www.metmuseum.org

Especial Namorados (II): Quem comanda o casal na dança?

Luciene Godoy // Prólogo: esse mês especial em que decidimos como cultura celebrar o encontro com o ser amado que chamamos comumente de “namoro”, quero passá-lo com você, meu leitor, a falar das novas formas de namorar que já estão

Destacado / Deixe um comentário
Dancing Couple (Boardman Robinson, 1924) - www.metmuseum.org

Especial Namorados (II): Quem comanda o casal na dança?

Luciene Godoy // Prólogo: esse mês especial em que decidimos como cultura celebrar o encontro com o ser amado que chamamos comumente de “namoro”, quero passá-lo com você, meu leitor, a falar das novas formas de namorar que já estão

Destacado / Deixe um comentário
Dancing in Colombia (Fernando Botero, 1980) - www.metmuseum.org/

Especial Namorados (I): Dançar com a vida

Luciene Godoy // Dançar com o outro, com o ser amado, é também dançar com a vida. Dançamos em muitos lugares à condição de termos corpo. Não estranhe essa afirmativa. Ter corpo não é coisa para qualquer um. Ter um

Destacado / Deixe um comentário
Dancing in Colombia (Fernando Botero, 1980) - www.metmuseum.org/

Especial Namorados (I): Dançar com a vida

Luciene Godoy // Dançar com o outro, com o ser amado, é também dançar com a vida. Dançamos em muitos lugares à condição de termos corpo. Não estranhe essa afirmativa. Ter corpo não é coisa para qualquer um. Ter um

Destacado / Deixe um comentário

Ajudando os pais a serem pais

Luciene Godoy // Como, afinal, nós, psicanalistas, podemos ajudar pais e mães a ajudarem seus filhos a crescerem saudáveis e felizes? Sem divagar muito, nosso primeiro passo é informar a esses pais conhecimentos muito recentes sobre as necessidades e a

Destacado / Deixe um comentário

Ajudando os pais a serem pais

Luciene Godoy // Como, afinal, nós, psicanalistas, podemos ajudar pais e mães a ajudarem seus filhos a crescerem saudáveis e felizes? Sem divagar muito, nosso primeiro passo é informar a esses pais conhecimentos muito recentes sobre as necessidades e a

Destacado / Deixe um comentário
Clothing the naked (Michiel Sweerts, 1661) - www.metmuseum.org

Consumismo, o enfeite do “eu”

Luciene Godoy // Ao vestirmos uma roupa nova, por exemplo, passamos a possuir um objeto que não tínhamos. Sentimos um bem-estar que pode durar minutos, horas, dias ou até mesmo muito tempo. Durar muito tempo é a exceção, não a

Destacado / Deixe um comentário
Clothing the naked (Michiel Sweerts, 1661) - www.metmuseum.org

Consumismo, o enfeite do “eu”

Luciene Godoy // Ao vestirmos uma roupa nova, por exemplo, passamos a possuir um objeto que não tínhamos. Sentimos um bem-estar que pode durar minutos, horas, dias ou até mesmo muito tempo. Durar muito tempo é a exceção, não a

Destacado / Deixe um comentário

Novas interações pais e filhos

Luciene Godoy // Dizemos que a função dos pais é a de educar seus filhos e que quando estão ensinando, dando lições e explicações, mostrando o que é certo e o que é errado, estão exercendo tal função. É isso

Destacado / Deixe um comentário

Novas interações pais e filhos

Luciene Godoy // Dizemos que a função dos pais é a de educar seus filhos e que quando estão ensinando, dando lições e explicações, mostrando o que é certo e o que é errado, estão exercendo tal função. É isso

Destacado / Deixe um comentário
Self-portrait in a convex mirror (Parmigianino, 1524) - www.metmuseum.org

A felicidade de ser vitrine

Luciene Godoy // Não dá para negar que é bom agradar aos outros. É bom, não. É uma verdadeira delícia. Menos para aqueles para os quais desagradar ou irritar é a forma de pedir amor e arrancar a atenção do

Destacado / Um Comentário
Self-portrait in a convex mirror (Parmigianino, 1524) - www.metmuseum.org

A felicidade de ser vitrine

Luciene Godoy // Não dá para negar que é bom agradar aos outros. É bom, não. É uma verdadeira delícia. Menos para aqueles para os quais desagradar ou irritar é a forma de pedir amor e arrancar a atenção do

Destacado / Um Comentário
Gala Eluard (Max Ernst, 1924) - www.metmuseum.org

Acabar com a compulsão

Luciene Godoy // O dicionário diz que compulsão é uma força que nos obriga a fazer algo. No dia a dia as pessoas costumam utilizar o termo em expressões como “comprar por compulsão, comer por compulsão”, de uma maneira muito

Destacado / Um Comentário
Gala Eluard (Max Ernst, 1924) - www.metmuseum.org

Acabar com a compulsão

Luciene Godoy // O dicionário diz que compulsão é uma força que nos obriga a fazer algo. No dia a dia as pessoas costumam utilizar o termo em expressões como “comprar por compulsão, comer por compulsão”, de uma maneira muito

Destacado / Um Comentário

#Férias todo dia

Por Valéria Belém

Meu desafio para você é aproveitar o seu dia até o último minuto. E fazer o mesmo ao acordar amanhã. Vamos lá, você consegue.

#Férias todo dia

Por Valéria Belém

Meu desafio para você é aproveitar o seu dia até o último minuto. E fazer o mesmo ao acordar amanhã. Vamos lá, você consegue.

A gente não se encaixa

Por Valéria Belém

Na pós-modernidade, médicos, padres, chefes, pais não têm mais esse tal espaço do outro que tudo sabe. A horizontalidade é o novo lugar de encontro entre as pessoas. Aí, pode mais quem é respeitado ou querido porque merece e não porque mete medo ou tem um título a lhe garantir.

A gente não se encaixa

Por Valéria Belém

Na pós-modernidade, médicos, padres, chefes, pais não têm mais esse tal espaço do outro que tudo sabe. A horizontalidade é o novo lugar de encontro entre as pessoas. Aí, pode mais quem é respeitado ou querido porque merece e não porque mete medo ou tem um título a lhe garantir.

Onde está o seu descanso?

Por Luciene Godoy

Onde podemos descansar? Sabia que um bom travesseiro de descanso são os nossos pensamentos? As interpretações que fazemos de nós e do que nos acontece podem ser afagos ou espinhos para nossa alma.

Onde está o seu descanso?

Por Luciene Godoy

Onde podemos descansar? Sabia que um bom travesseiro de descanso são os nossos pensamentos? As interpretações que fazemos de nós e do que nos acontece podem ser afagos ou espinhos para nossa alma.

Escolha as suas palavras

Por Luciene Godoy e Valéria Belém

Boas ou ruins, vamos recebendo designações e escrevendo muitas delas em um crachá invisível que carregamos no pescoço. Ou seja, vivemos em um mundo em que o outro nos nomeia e nos dá atributos que ficam impregnados em nosso inconsciente.

Escolha as suas palavras

Por Luciene Godoy e Valéria Belém

Boas ou ruins, vamos recebendo designações e escrevendo muitas delas em um crachá invisível que carregamos no pescoço. Ou seja, vivemos em um mundo em que o outro nos nomeia e nos dá atributos que ficam impregnados em nosso inconsciente.

Por que a gente não se entende

Por Luciene Godoy e Valéria Belém

Nem sempre a gente entende a língua que o outro fala porque está tudo lá, na cabeça dele. Então, somos os felizes proprietários de milhões de palavras que só fazem sentido para nós mesmos, uma linguagem própria e intransferível.

Por que a gente não se entende

Por Luciene Godoy e Valéria Belém

Nem sempre a gente entende a língua que o outro fala porque está tudo lá, na cabeça dele. Então, somos os felizes proprietários de milhões de palavras que só fazem sentido para nós mesmos, uma linguagem própria e intransferível.

O exercício do novo amor

Por Valéria Belém

Será que em algum momento nos últimos anos você conheceu alguém e, justamente porque tudo estava indo muito bem, sentiu um medo terrível de perder aquela felicidade toda? É nessa hora que começamos a boicotar os relacionamentos da pior forma.

O exercício do novo amor

Por Valéria Belém

Será que em algum momento nos últimos anos você conheceu alguém e, justamente porque tudo estava indo muito bem, sentiu um medo terrível de perder aquela felicidade toda? É nessa hora que começamos a boicotar os relacionamentos da pior forma.

Solte suas peles

Por Valéria Belém

Delícia das delícias é descobrir o que fazer com isso que É você, olhar para o futuro, arriscar-se naquilo que transforma e tira o pó dos sapatos, lançando os pés em outras estradas.

Solte suas peles

Por Valéria Belém

Delícia das delícias é descobrir o que fazer com isso que É você, olhar para o futuro, arriscar-se naquilo que transforma e tira o pó dos sapatos, lançando os pés em outras estradas.