Posts Marcados: linguagem

Escolha as suas palavras

Por Luciene Godoy e Valéria Belém

Boas ou ruins, vamos recebendo designações e escrevendo muitas delas em um crachá invisível que carregamos no pescoço. Ou seja, vivemos em um mundo em que o outro nos nomeia e nos dá atributos que ficam impregnados em nosso inconsciente.

Anúncios

Escolha as suas palavras

Por Luciene Godoy e Valéria Belém

Boas ou ruins, vamos recebendo designações e escrevendo muitas delas em um crachá invisível que carregamos no pescoço. Ou seja, vivemos em um mundo em que o outro nos nomeia e nos dá atributos que ficam impregnados em nosso inconsciente.

Por que a gente não se entende

Por Luciene Godoy e Valéria Belém

Nem sempre a gente entende a língua que o outro fala porque está tudo lá, na cabeça dele. Então, somos os felizes proprietários de milhões de palavras que só fazem sentido para nós mesmos, uma linguagem própria e intransferível.

Por que a gente não se entende

Por Luciene Godoy e Valéria Belém

Nem sempre a gente entende a língua que o outro fala porque está tudo lá, na cabeça dele. Então, somos os felizes proprietários de milhões de palavras que só fazem sentido para nós mesmos, uma linguagem própria e intransferível.

Office at Night (Edward Hopper, 1940)

Falar sem dizer

Luciene Godoy // Falar ao vento. Falar para as paredes. Desperdiçar o verbo. Não ser levado em conta. Você gosta disso? Se a resposta é não, então, vejamos como conseguir chegar lá – principalmente para nós, mulheres, que falamos, falamos,

Destacado / 2 Comentários
Office at Night (Edward Hopper, 1940)

Falar sem dizer

Luciene Godoy // Falar ao vento. Falar para as paredes. Desperdiçar o verbo. Não ser levado em conta. Você gosta disso? Se a resposta é não, então, vejamos como conseguir chegar lá – principalmente para nós, mulheres, que falamos, falamos,

Destacado / 2 Comentários