Carreira, trabalho e diversão

Tempos Modernos (Charlie Chaplin, 1936)

Tempos Modernos (Charlie Chaplin, 1936)

Luciene Godoy //

Quando pensamos na palavra trabalho, o primeiro sentido que nos ocorre geralmente é o relacionado ao econômico, em que a palavra se refere a qualquer atividade exercida com o fito de um retorno material. É o “ganhar o pão nosso de cada dia”.

O tipo de trabalho que escolhemos para nos sustentarmos materialmente na vida constitui o que chamamos de profissão. Da profissão faz-se uma carreira, um caminho, um percurso na vida.

Pergunta para o dia: será que trabalho e profissão rimam com diversão?

Aparentemente não, pois a atividade produtiva que se exerce para ganhar dinheiro não costuma agradar a muita gente, mesmo àquelas pessoas afortunadas que ganham seu dinheiro “suado” e ele é suficiente para os luxos em geral. Afortunados, mas nem tanto, porque seu dinheirão também é ganho com esforço e sacrifício.

Diversão é outra coisa. Por definição, diversão é uma distração, um passatempo e até mesmo um desvio da atenção das preocupações para coisas prazerosas.

Como podemos trabalhar, nos concentrar e sermos produtivos nos divertindo, se para isso temos nossa atenção desviada da atividade em questão?

Quer dizer que se divertir só é possível desviando-se do trabalho? Se considerarmos que não dá para sentir alegria, descontração e prazer no trabalho, sim. Estas são coisas reservadas só para os momentos de relaxamento e descanso (trabalho cansa, não se esqueça).

Trabalho exige concentração e seriedade. Graça a gente acha de palhaço no circo. É nisso que acreditamos, influenciados, acima de tudo, pelo velho ditado: “Primeiro a obrigação, depois a diversão”.

Obrigação e diversão em campos opostos… agora não dá mesmo para sonhar em juntar os dois.

É, mas alguém anda propondo o contrário. Seu nome é Domenico de Masi, sociólogo italiano que escreveu o livro O Ócio Criativo. Ali ele diz que, no Século 21, trabalho, estudo e lazer podem estar juntos numa mesma atividade.

Concordo com ele, inclusive em termos freudianos, pois a teoria da sublimação nos esclarece sobre a possibilidade de, ao mesmo tempo, termos prazer e ganhar a nossa subsistência com o nosso trabalho.

O detalhe a levar em conta é que Freud se refere aos artistas. Ele afirma que aquele que consegue colocar no mundo algo de sua subjetividade, algo que diz respeito somente a si mesmo, e é pago por esse prazer exerce o caminho da sublimação – de tornar sublime uma atividade que lhe traz ganhos em prazer e também em sustento.

Lembre-se que já estamos num mundo onde não temos que nos esforçar dramaticamente para caber nos papéis “pré-determinados”, onde cada vez mais a criatividade não só é tolerada como também incentivada. Isso quer dizer que um professor pode dar aula à sua maneira, que um médico cheio de amor pelo que faz pode agir de maneira única no seu tratar com o paciente… Vale para qualquer profissão.

Claro, ainda temos os caixotinhos nos quais querem nos obrigar a encaixar. Ainda temos profissões super mal remuneradas, ainda temos muitas insuficiências, mas o viés a que me refiro aqui é o das pessoas que já se encontram na posição de ter e usufruir e não o fazem.

Não são poucas as pessoas que já podem escolher e desenvolver uma relação sublime com o ato de trabalhar e não o fazem.

Estamos sendo conclamados a vivermos como artistas: fazendo o que gostamos, colocando no mundo e nos sustentando pelo nosso trabalho que não é arte, mas é significativo, é escolha, é valorizado pelo que é para nós.

Costumo dizer que somos herdeiros dos iluministas do Século 18 e dos desconstrutivistas dos séculos 19 e 20, que tanto fizeram para que chegássemos a ter o que temos hoje e nós descuidadamente “pisamos nas estrelas distraídos” sem nos darmos conta do que temos já conquistado para o nosso usufruto.


Artigo originalmente publicado no jornal O Popular em 12 de novembro de 2015.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: