Ficar sozinho é ótimo

 

 

Ou com quem você fica quando o amado se vai?

Proponho os dois títulos porque se completam ao mesmo tempo em que são paradoxais.

O que importa não é a quem se perde, mas com quem se fica quando se está só.

O amado se foi, não me quis mais, me abandonou, deixou de me amar. E eu fiquei a deixada, a desvalorizada, o lixo?

O que penso de mim quando alguém me deixa? A resposta faz toda a diferença.

Recebi um e-mail de uma amiga dizendo que estava viajando. Depois ela me explicou que estava viajando para outros lugares em seu dia-a-dia.

Disse que estava conseguindo viver de uma maneira completamente nova para ela e que a mudança veio de uma conversa entre nós. Nessa conversa eu teria lhe dito que para casamento não deixar de ser namoro era só viver “junto e separado”.

Viver “junto-separado” é não ser o pinico do outro. É não ser o espelho do outro e não fazê-lo de seu, perguntando com os olhos o tempo todo “como estou?” e também “mostrando quem você é”. Ou seja, confirmando sua imagem dia e noite. Enche o saco! Cansa e depois de algum tempo se torna uma vida torturante, repetitiva e infeliz.

Viver “junto-separado” é não fazer do outro o seu vomitório quando o estômago está enjoado. É não fazer dele o muro das lamentações nem o saco de lixo e muito menos o saco de pancadas.

A criança faz o teste de realidade batendo na mãe. Quer ver se ela sobrevive ao ataque para provar-lhe que não é uma fantasia, mas a realidade. Nem pense que vai dar para ficar fazendo o teste de realidade dando pancadinhas reais e emocionais no outro para ver como reage. Você não tem mais dois anos de idade para fazer isso e os frutos são amargos.

O eu parasita o outro. Estamos sempre no outro prestando atenção no que faz conosco, como nos olha, como nos julga, e isso para sabermos quem somos.

Parasitamos o outro no sentido de usá-lo o tempo todo para dizer quem somos – como se fosse nosso espelho. E espelho tem que estar disponível toda vez que necessitamos dar uma olhadinha no visual para nos reassegurarmos de como estamos.

Se o “espelho” fechar a cara é porque não gostou do que fizemos e não porque não está satisfeito com alguma outra coisa. Se o “espelho” sorri e está feliz, achamos ingenuamente que é conosco. Pode ser que não lhe diga respeito. A tristeza ou alegria do outro pode não lhe dizer respeito e ponto final. Você é só mais um dos objetos da vida dele.

É uma dolorosa dependência, achando que o outro está alí sempre para me mostrar quem eu sou.

A pessoa pode possuir qualquer coisa, inclusive a sua imagem, mas só será capaz de usufruir ela se já tiver se re-encontrado consigo mesma. Ficar sozinho e bem é pra quem consegue ter um bom encontro consigo. Quem aprendeu a gostar de sua história sem querer ser o que não é.

Quem se reconhece no olhar do outro fica na dependência enjoada. Se nos reconhecemos naquilo que desejamos podemos habitar o nosso corpo no tempo presente e usufruir da vida a cada segundo.

Voltando à pergunta: “Com quem você fica quando o outro vai embora?” Respondo com outra pergunta: “Com quem você mora quando mora com o outro?”

A resposta para as duas perguntas é rigorosamente a mesma.

Você sempre vai morar é com você mesmo até quando dorme todas as noites na cama com o companheiro.

Tendemos a achar que o inferno é o outro porque não nos separamos dele – dentro da relação. Não estou falando de divórcio, estou falando da capacidade de viver “juntos-separados”.

Quando gostamos da nossa própria presença, e somente aí, poderemos afirmar de boca cheia que: ficar sozinho é ótimo e… surpresa! Ficar junto também!

 

Anúncios

Um Comentário

  1. Maria Helena Ferreira

    Luciene, ótimo texto para reflexão.
    Adoro estar comigo mesma, embora alguns pensam o contrário. Temos que ser a melhor companhia para nós mesmos, independente dos outros pensarem que fazem cocô em nossa cabeça de vez em quando, coitados! Nem imaginam que fazem cocô em suas próprias cabeças.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: